quinta-feira, 1 de agosto de 2013

2° Capítulo - Mamãe, é hoje!


Leia aqui pelo Anime.
05 de Junho de 2013 - Canadá, Toronto. 
Pov's, Chlöe Swan.

– Bom dia, querida.  – Disse Kate. 
– Bom dia Kate, não percebi que estava aqui, me desculpe. – Disse sorrindo. Kate era minha empregada a quase quatro anos, ela começou a trabalhar para mim logo que cheguei do Brasil e me instalei aqui, em Toronto.
– Não há problemas Srta. Chlöe – Ela garantiu com um sorriso enquanto arrumava a mesa de café da manha. – Animada para levar a pequena Megan ao show? – Ela perguntou me encarando.
– Eu não sei Kate – Balancei a cabeça negativamente. –  Não tenho certeza se essa é uma boa ideia, já se passaram 3 anos e 8 meses desde que ó vi pela primeira vez, você sabe o que aconteceu. Eu não sei se consigo encarar ele novamente depois de tudo que ele me disse. 
– Simples, pense que não está fazendo isso por você e sim pela sua filha que ama aquele menino sem ao menos saber que ele é o seu tão sonhado papai, Clhöe. – Disse Kate em um tom amigável, ela estava certa, eu não tinha que fazer aquilo por mim e sim por Megan. – E falando na pequenina, olha quem esta descendo. – Disse ela novamente. 

Foquei-me em minha pequena garotinha que descia as escadas com cuidado, se apoiando no corrimão para ter certeza de que não cairia, assim que me viu abriu o sorriso mais lindo do meu mundo e correu em minha direção se jogando em meus braços. 

No inicio da minha gravidez foi como se eu estivesse vivendo em um pesadelo. Bem, tudo começou depois que saímos do consultório médico, eu havia acabado de descobrir que estava gravida e meu mundo havia desabado ali mesmo, minha primeira vez havia sido uma aposta e agora eu teria que carrega um filho feito de uma aposta, minha mãe me prometeu que cuidaria de mim e do meu bebe, mas teríamos que contar tudo para o meu pai, eu não neguei mas também não afirmei que faria aquilo. Estava com medo, meu pai não era o tipo de pessoa que me acolheria de braços abertos e me consolaria. 

Flash Back On.

– Clhöe, sente-se aqui enquanto eu vou chamar seu pai. – Disse Scarlett com os olhos merejados me empurrando devagar para o sofá. Odiava ver minha mãe daquele jeito, ainda mais quando eu sabia que era por minha causa. Eu não conseguia controlar minhas lagrimas e elas caiam involuntariamente. Percebi que meus pais se aproximavam enquanto meu pai dizia que estava ocupado demais para escutar minhas 'bobagens'. 
– Vamos Chlöe, me diga o que aconteceu? Estou ocupado e preciso terminar de assinar alguns papeis antes do almoço. – Ele me encarava como se estivesse falando com algum de seus empregados e fez sinal com as mãos para que eu falasse logo. 
– Estou gravida. – Disse mais para mim do que para ele. 
– Levante-se e fale mais alto, não entendi nada! – Disse ele sem paciência. Fiz o que ele mandou e repeti em um tom mais alto dessa vez.
– Estou gravida! – Senti meu rosto arder e se virar com o impacto de sua mão sobre meu rosto. 
– Ridículo! Vocês acham que estou com tempo para piadinhas? – Ele gritou.
– Ela está falando a verdade John. Fomos ao médico hoje, lembra? Ou se esqueceu da saúde da sua filha novamente? – Minha mãe disse chorando e logo correu para mim e me abraçou. 
– Pra quem não saia da porra de um quarto pra ficar lendo livrinhos você virou uma bela vagabunda Chlöe. – Disse ele olhando para mim, dessa vez foi minha mãe quem lhe acertara com um tapa na cara, me encolhia no sofá sentindo as lagrimas aumentarem. 
– Talvez se você não tivesse empurrado Chlöe para aquela festa com Alicia isso não teria acontecido. – Disse Scarlett quase gritando.
– Agora a culpa é minha? – Disse John gargalhando. – Ou ela tira essa criança ou ela vai embora da minha casa com essa coisa. Mas só pra deixar bem claro, independente de qual escolha você tomar, Chlöe, quero que esqueça que um dia você teve um pai.

Flash Back Off.

– Mamãe? – Disse Megan chamando minha atenção.
– Estou aqui, meu amor. – Beijei o topo de sua cabeça e á acolhi mais para os meus braços.
– Mamãe, é hoje! – Disse ela animada e me abraçou, eu não queria me lembrar de qual era o motivo de total animação de Megan, sabia que aquilo seria difícil, mas eu teria que enfrentar aquilo, pela minha filha. 
– Eu sei meu anjo, está feliz? – Perguntei já sabendo a resposta e ela assentiu com a cabeça dando o seu melhor sorriso.
– Mamãe podemos ir tomar sorvete? 
– Mas é claro que sim meu amor. – Beijei sua bochecha. – Vamos nos trocar e logo vamos tudo bem? – Ela assentiu com a cabeça. Terminamos de tomar o nosso café da manha e subimos para nos arrumar.

5 horas depois. 

– Ei filha, precisamos ir. - Já fazia cerca de cinco horas que estávamos passeando no shopping. Almoçamos, compramos roupas, tomamos sorvete, fomos ao cinema e por fim viemos parar em um pet shop, ficamos tão entretidas brincando com alguns cãezinhos que eu acabei me esquecendo da hora. 
– Mas já mamãe? –  Disse ela, fazendo carinha triste.
– Sim meu amor. Ainda vamos ao show, se esqueceu? – Um sorriso surgiu em seus lábios.
– É 'vedadi' mamãe. Eu preciso ir com a mamãe cãozinho, hoje vou ver alguém que eu amo muitão. –  Ela sorriu. –   Tchau amiguinho. – Disse Megan, abraçando o cachorrinho que estava em seus braços. 

Meus olhos se encheram de lagrimas, peguei Megan no colo e sai em direção ao estacionamento. "hoje vou ver alguém que eu amo muitão". Megan sempre foi muito ligada ao Justin, desde pequena, quando decidi que pai e filha se conheceriam. Quando Megan completou 3 meses de vida, Kate me sugeriu algo em que no começo eu pensei ser a maior loucura do mundo, neguei até quanto pude, mas Kate tinham mais argumentos do que eu. Justin, é Justin Bieber estava em Toronto para um de seus shows e Kate me sugeriu que eu á levasse para o "Meet and Greet" apenas para que eles se "conhecessem", sem apresentações legitimas. Eu tinha duas opções ou eu á levaria ou Kate a levaria para mim, Megan ainda era muito nova e eu tinha medo, mas eu confiava em Kate. Então foi ai que tudo começou. Kate a levou e me lembro como se fosse ontem suas palavras.

Flash Back On.

– Kate esta demorando demais, Bill. Será que aconteceu alguma coisa? –  Falei apreensiva. Quando Kate saiu com Megan do carro, minha garotinha chorava desesperadamente. Tentei impedir Kate de fazer essa loucura mas era tarde demais, ela já haviam saído do carro, sem ao menos me deixar terminar de falar. 
– Está tudo bem, Chlöe. Essas coisas costumam ter filas, deve ser por isso que ela ainda não voltou. – Disse ele, tentando me passar conforto.

Encostei-me no vidro e fiquei observando várias meninas que gritavam, choravam e cantavam ao lado de fora do show, aguardando ansiosas para a abertura do portão. Bill me olhou pelo retrovisor interno e pude ler seus olhos. Não queria pensar naquilo, não queria pensar que havia conhecido um Justin totalmente diferente do que todas essas meninas conheciam. Enxuguei uma lagrima teimosa que insistiu cair sobre minha face e fechei os olhos. Escutei a porta ser aberta e despertei.
 
– Eu não sei o que dizer Chlöe. – Disse Kate me encarando.
– Meu Deus! O que aconteceu? O que ele fez? – Perguntei assustada.
– Eu não sei por onde começar, mas, isso foi magico. Não sei o que dizer. – Encarei-a, sem entender nada. – Megan estava chorando, se lembra? – Assenti com a cabeça. – Quando chegamos na sala de espera, meu coração ficou pequenininho pois ela não parava de chorar e eu não sabia o que fazer, já estava quase desistindo e voltando pra cá, quando Justin apareceu na sala de espera. As meninas começaram a gritar e foram direto abraça-lo. Ele correspondeu claro, mas os olhos dele procuraram pela sala inteira de onde vinha o choro, quando ele me viu, segurando Megan. Ele se aproximou e pediu permissão para segura-la, eu concedi é, claro, mas o que ninguém esperava era que a menininha chorona ai. – Disse ela olhando para Megan em meus braços. – Fosse parar de chorar na hora e fosse aninhar confortavelmente no colo dele. Os seguranças se aproximaram dele novamente e o tiraram do tumulto, mas ele não largou Megan por nada. Ele tirou foto com todas as fãs e em todas as fotos Megan estava com ele. Por isso nós demoramos, pois ele não me deixava levar Megan, Chlöe. Ele me perguntou se ficaríamos para ver o show e eu disse que não, pois Megan ainda era muito nova para ficar no meio de tantas pessoas e muito barulho, eu juro por Deus que pude ver um olhar de decepção nos olhos daquele menino. Não preciso ser uma vidente ou algo parecido para saber que eles se sentiram diferentes, um com a presença do outro. – Olhei para Megan e deixei que as lagrimas rolassem sobre o meu rosto. 

Flash Back Off. 

Desde então, Kate presenteou Megan com um CD de Justin, então toda noite, antes que ela pudesse dormir eu colocava o CD para tocar baixinho. E quando eu pude me dar contar, minha filha já havia se tornado fã de seu próprio pai, sem ao menos saber. 

– Mamãe? 'Poiquê' você ta 'cholando'? –  Disse ela passando sua pequena mãozinha sobre o meu rosto enquanto sentávamos no banco traseiro do carro.
– Por nada meu amor, mamãe só estava lembrando de algumas coisas. Está tudo bem, ok? –  Ela concordou com um sorriso e me abraçou forte.

Chegamos em casa e fui direto dar um banho em Megan, mesmo não sendo mais um bebezinho ela conseguiu me molhar inteira, o que não era nenhuma novidade. Coloquei nela um vestidinho rosa, com meias brancas e uma sapatilha preta, coloquei também duas presilhas pequenas para segurar seu cabelo e optei colocar um de seus sobretudos brancos por cima. Pedi para que ela me esperasse lá em baixo enquanto eu tomava banho, não tinha a mínima ideia de que roupa usar, então optei pelo básico, Calças jeans pretas e rasgadas, uma blusa branca um pouco soltinha, uma jaqueta de couro e saltos altos pretos. Deixei meu cabelo solto e apenas passei rímel e um batom não muito escuro. É, até que eu não estava nada mal. Desci as escadas e Megan logo pulou em meu colo.
 
– Já estamos indo mamãe? –  Perguntou ela, animada.
– Sim meu amor, só preciso achar os... – Kate me interrompeu.
– Ingressos. –  Ela sorriu. – Sabia que a senhorita iria se esquecer da onde guardaria, então eu mesma guardei. – Disse ela me entregando três ingressos. – Divirtam-se meninas! 
– Kate, você é um anjo, muito Obrigada. – Sorri.
– Tia Kate, um anjo. – Disse Megan me imitando. Kate e eu rimos.

Fomos para o jardim a onde Bill e mais um segurança nos esperavam no jardim.
 
– Esta mesmo preparada para isso, Chlöe? – Perguntou Bill preocupado.
– Na verdade não, mas tenho que estar. Por Megan.
– Tenho certeza que você esta fazendo a coisa certa. – Ele depositou um beijo em minha testa e em seguida nos ajudou a entrar no carro.

Bill era como um pai pra mim, ele era um antigo segurança de meu pai, seu braço direito. Mas depois do dia em que meu pai me "expulsou" de casa, Bill pediu demissão. Eu não tinha pra onde ir, então fui morar com minha vó paterna, ela sempre foi um anjo pra mim, me entendia, conversava comigo e ainda fazia o melhor bolo de chocolate do mundo. Ela me ajudou quando eu mais precisei me deu carinho, atenção e amor. Apoiou minha gravidez e me mandou para Toronto, ela acabou me convencendo que o Brasil não seria mais um local seguro para a minha estadia então acabei aceitando vir para cá, depois de duas semanas em que havia chegado em Toronto, recebi a pior noticia da minha vida, minha vó havia falecido devido aos seus problemas cardíacos. Naquele momento eu senti que estava literalmente sozinha no mundo, pra piorar minha situação, minha vó havia revogado seu testamento, deixando TUDO para mim e não deixando absolutamente nada para o meu pai. O que gerou grandes transtornos, meu pai me ameaçou e ainda me ameaça por causa disso. Então é ai que Bill entra novamente na história, ele conseguiu o endereço da onde eu estava com uma ex governanta de minha vó e veio atrás de mim, cuidou de mim junto com Kate e ainda se tornou o meu segurança com mais diversos homens, devido ás ameaças de meu próprio pai.
– Chegamos, Chlöe. Estaremos te esperando aqui na saída. – Disse ele, me mandando uma piscadela. – Tudo bem, Bill. Tire o resto do dia para descansar, peça para outro segurança vir fazer nossa segurança. Ficaremos bem. – Garanti.
– Obrigada querida. Qualquer coisa me ligue, divirtam-se!
– Pode deixar. – Sorri.
– Tchau, titio Bill. 
– Tchau, minha bonequinha. – Disse ele depositando um beijo na bochecha de Megan.

Eles fizeram nossa segurança até o portão de entrada, que por sinal já estava aberto e foram embora. Jack ficou, pois iria nos acompanhar no show, então entramos e recebemos as pulseiras do "meet and greet". Fomos até a sala de espera que estava lotada de garotas, algumas aparentavam ter minha idade, mas a maioria ali parecia ter 16 anos. Jack disse que nos esperaria lá fora, apenas concordei e me sentei com Megan em um dos sofás que havia ali.
 
– Mamãe, aquele é o Fredo mamãe, chama ele mamãe. Por favor. – Disse ela com voz manhosa, quando eu disse que minha filha havia se tornado fã de Justin, eu não estava brincando. 
– Megan, não dá amor. Ele deve estar ajudando em alguma coisa.
– Mamãe, vou 'dimaiar' ele ta vindo 'ati'. – Demorei para entender o que ela disse, mas quando finalmente entendi, já era tarde demais pra isso. 
– Oh meu Deus, teremos mais duas princesas no show de hoje. – Ele era uma gracinha e se eu não estivesse tão nervosa, poderia pensar que ele estava me jogando uma cantada barata. Megan riu e esticou os bracinhos para ele, que a pegou na mesma hora. 
– Certamente vocês terão que aguentar as duas "princesas" no show de hoje. – Disse rindo.
– Com todo prazer. – Ele sorriu. 
– Vem! Vou levar vocês para conhecerem o Bieber e tirarem a foto. – Por mim eu ficaria ali mesmo. Naquele momento eu travei. Alfredo pareceu perceber isso e me arrastou com o outro braço. A cada passo, mil pensamentos de como fugir dali. Tarde demais!
– BIEBER! – Gritou Megan, me escondi atrás de Alfredo. Céus eu não estava prepara para aquilo. Ele colocou Megan no chão e pude ver Justin esperando ela de braços abertos com um sorriso enorme
no rosto. Alfredo pareceu perceber que eu estava me escondendo atrás dele e saiu da minha frente.

Megan se jogou nos braços de Justin, ele a segurou e á levantou em seus braços á abraçando. Ele me olhou por um tempo franzindo o cenho. Com certeza ele não se lembrava de mim, o que me deixava aliviada. Quando nós nos conhecemos, eu era loira, (de farmácia, mas era) usava óculos, aparelhos, casacos amarelos, andava toda torta, era boba, ingênua e inocente demais. Eu deveria ter esperado que aquilo era uma aposta quando nós nos conhecemos, que tipo de menino bonito ficaria comigo sem ser por algo em troca? Pois é, mas o tempo passou e as coisas mudaram. E muito! Eu voltei a usar minha cor de cabelo natural, tirei os aparelhos, não usava mais óculos, aprendi a usar saltos e conheci algo chamado academia. Eu havia melhorado muito.
– Mas que abraço gostoso! Como você se chama bonequinha? – Disse Justin olhando para Megan.
– Megan. – Disse ela com voz fofa.
– E você? – Disse ele olhando para mim. Fodeu. – Você não quer um abraço? – Ele se aproximou. 
– Não, obrigada! Estou bem assim. – Minhas mãos tremiam, meus pés formigavam e tudo que eu queria era correr dali.
– Hm, mas eu não me importo de te abraçar. – Tentei responder, mas ele foi mais rápido, me pegando totalmente de surpresa, e me abraçou. Droga.

O cheiro de seu perfume invadiu minhas narinas e puxei o ar com força, como se quisesse guardar seu cheiro para sempre. Soltei-me rapidamente e ele arqueou as sobrancelhas. O fotografo chamou a atenção deles e Justin saiu com Megan no colo para o tapete vermelho e se posicionaram para as fotos. Alfredo ficou me encarando como se tivesse algo de errado comigo e me perguntou:
– Você não vai tirar foto com o Justin?
– Prefiro ficar aqui. – Voltei minha atenção para Justin, que se despedia de Megan.
– Você não gosta dele? – Quase engasguei com minha própria saliva. 
– Não, não é isso. E só que... Eu não gosto de tirar fotos, é eu odeio fotos. – Ótima desculpa Chlöe.
– Quem não gosta de tirar fotos? – Justin chegou se intrometendo. 
– Eu. – Afirmei pegando Megan no colo.
– Deixa de ser boba. – Disse ele sorrindo. "Boba" exatamente Bieber. – Vem vamos tirar uma foto. – Droga de menino, não podia me deixar ali quietinha até a hora de ir embora? É não podia.
– É mamãe, vai. – Disse Megan sorrindo. A salinha inteira ficou muda logo após que Megan disse a palavra "mamãe". Senti-me mal, pois todos eles me encaravam de uma forma diferente. 
– Tudo bem, só uma. – Disse gaguejando. Talvez eles parassem de me olhar daquela forma. Justin pareceu se tocar e se posicionou para a foto, sorri desconfortável e o fotografo fez sinal de que já havia tirado a foto.

O silêncio prevaleceu. Meus olhos se encheram de lagrimas e eu caminhei até saída da sala.
– Ei, espera. – Gritou Justin. Engoli o choro e olhei para ele. 
– Vocês são irmãs? – Droga, além de idiota se finge de surdo? Pensei irritada. 
– Não. Ela é minha filha. – Sai da sala sem esperar nenhuma resposta. Megan acenava e gritava "Tchau" para todos da equipe e eles faziam o mesmo.

Engoli meu choro novamente e sorri, eu sabia do meu valor e não era o espanto das pessoas que faria estragar a noite da minha filha. Eu já havia sofrido demais com o preconceito das pessoas, e não aguentaria aquilo novamente. "Você teve sua filha com 15 anos?" "Meu Deus! Você tem 18 anos e já é mãe?" "Lá vem a vagabunda que teve filha com 15 anos" Não era fácil aguentar isso todos os dias, as pessoas costumam te julgar sem antes saber o que realmente aconteceu e aquilo, querendo ou não me magoava. Encontrei Jack e ele pegou Megan no colo, caminhamos até a arquibancada próxima ao palco e nos sentamos.
 
– Está tudo bem Srta. Chlöe? – Perguntou Jack, me encarando. – Sim Jack. Obrigada. – Afirmei.

Uma cantora que estava no palco se despediu e um cronômetro foi colocado no telão, marcando que em 15 minutos, Bieber estaria no palco. 
...

Precisava admitir que Bieber tinha mesmo, muito talento. Megan "cantou" todas as musicas junto com ele e mais milhares de meninas, às vezes eu até me arriscava a cantar algumas partes. Megan me obrigava a escutar o CD junto com ela, então acabei decorando também. O show havia acabado e estávamos nos enfiando no meio da multidão para conseguirmos sair. Eu estava com Megan no colo e Jack logo a nossa frente, nos ajudando a sair. Meu braço já estava doendo de tanto esperar que pessoas saíssem e Megan não era mais uma criança levinha. A coloquei no chão e segurei forte em sua pequena mãozinha. Senti meu celular começar a vibrar em minha bolça, lancei um olhar de "não saia de perto de mim" para Megan e comecei a revirar minha bolça, atrás do celular.

– Bieber! – Disse Megan. Parei de revirar minha bolça para olhar para Megan, que começou a correr, passando por baixo das pessoas. – MEGAN! – Gritei tentando passar pelas pessoas para pega-la, mas não consegui.
 
Meu coração ficou acelerado e eu me desesperei.

– Fique aqui, eu vou pega-la. Não saia daqui. – Disse Jack segurando os meus braços. Com aquela roupa de segurança ele certamente conseguiria passar mais rápido pelas pessoas do que eu. Comecei a chorar já me sentindo uma inútil por ter soltado a mão dela. O lugar foi começando a se esvaziar e nada de Jack voltar com Megan.
– Com licença. Esta tudo bem moça? – Perguntou uma moça de aparentemente 38 anos, ela tinha os olhos azuis e era muito bonita. Neguei com a cabeça. –  O que aconteceu? Venha se sente aqui. – Disse ela me arrastando para uma das cadeiras. – Tragam água pra ela! – Ela gritou para um segurança. – O que aconteceu querida? 
– Eu acabei de perder minha filha no meio desse tumulto. Meu segurança foi atrás dela á algum tempo mais ainda não voltou, estou preocupada e eu não consigo sair daqui devido ao tumulto. 
– Oh meu Deus! Fique calma, eu vou te ajudar. Ei, vocês ai. – Disse ela gritando para alguns seguranças que caminharam até nos. – A filha dela se perdeu no meio das meninas lá fora. Avise toda a segurança e á tragam para dentro. Fale para eles, como ela é querida.
– Ela tem os olhos azuis, os cabelos são castanhos claros e ela esta com um vestido rosa, meias brancas e sapatilhas pretas. – Disse desesperada. Os seguranças assentiram e começaram a mexer em seus rádios e saíram. 
– Fique tranquila, eles vão acha-la. – Disse ela sorrindo para mim. – Justin sempre corria para se esconder de mim nos mercados. – Ela riu. Céus, como eu não percebi, ela era Pattie. Mãe de Justin. 
– Como você se chama?
– Obrigada Pattie. Não sei nem como agradecer. Me chamo Chlöe. – Tentei sorrir.
– Não precisa agradecer, Chlöe. 
– MÃE? – Justin gritou lá de cima. – Já estamos indo, venha logo. 
– Oh querido, desça aqui! – Gritou ela. Justin bufou e começou a descer e parou em nossa frente, quando nossos olhares se cruzaram, ele bufou novamente e revirou os olhos. 
– O que foi? – Perguntou ele, para Pattie.
– A filhinha dela se perdeu no meio das Beliebers. Vamos esperar até que achem ela.
– Ah serio? – Ele falou irônico. – Pois eu estou cansado e estou indo embora. – Disse ele se virando novamente, pude notar Alfredo e mais alguns caras descendo. 
– JUSTIN DREW BIEBER. – Pattie gritou. Ele se virou e olhou rindo para ela. – Essa não foi à educação que eu te dei, Justin! Volte aqui e espere conosco. 
– Qual é mãe? Já era de se esperar isso, essa menina ai tem cara de interesseira e irresponsável. Já podíamos esperar que ela fosse aconteceu, tenho dó é da garotinha, com uma mãe dessas. – Arregalei meus olhos e me levantei. Que porra ele havia acabado de dizer? Eu podia suportar tudo, menos aquilo.
– Escuta aqui menino, quem você pensa que é para falar de mim dessa maneira? Não é porque você é o Justin Bieber, que você tem direito de julgar as pessoas como você bem intende. Mas é claro que eu não poderia esperar coisa diferente de você. – Senti as lagrimas descerem. – Eu criei minha filha sozinha Justin, nunca precisei ir atrás do pai de Megan para cria-la e muito menos dei o golpe da barriga em alguém. – Ó encarei –  Pelo contrario, quem levou o golpe, fui EU. Então por favor, não insinue coisas que eu não sou, pois você não sabe o quanto eu sofri para criar minha filha no meio de tantas pessoas que só queriam o meu mal. Só Deus sabe o quando eu precisei ser forte para ser uma boa mãe á ela, então não me julgue. – Todos me olhavam espantados novamente, droga. Desabafei em um momento de raiva. Droga.
– Hey JB acho que você vai ter que chamar a policia irmão, encontrei essa coisinha fofa lá fora perdida e... – Olhei para o portão e pude ver Lil Twist, com minha filha nos braços. Meu coração parou.
– MAMÃE. –  Gritou Megan chorando. – Saí correndo de onde eu estava e saí correndo, para pega-la. 
– Oh meu Deus filha! Você está bem? Por favor, me prometa que nunca mais vai fazer isso meu amor. – Abracei-a forte.
– Me 'diculpa' mamãe. Megan só 'quelia' entregar a foto para o Justin. – Disse ela me mostrando uma foto dela e de Justin, de quando Kate á trouxe para o meet and greet.
– Esta tudo bem agora meu amor. Vamos pra casa! – Ela assentiu com a cabeça. Percebi que todos nos olhavam. Abracei Twist o pegando totalmente de surpresa. – Eu não sei como te agradecer por isso. Mas obrigada, de verdade! 
– Imagina! Só fiz o que qualquer pessoa faria. Mas se um dia você aceitar jantar comigo, irmão eu vou pro céu. – Pattie e Alfredo se aproximaram e começaram a rir junto comigo. 
– Obrigada! – Agradeci. – Obrigada pela ajuda você também Pattie. Você realmente é uma mulher especial. Obrigada mesmo! Agora eu preciso ir.
– Não precisa agradecer querida. Eu peço desculpas por Justin, ele não anda em um bom momento. Espero que entenda. – Assenti com um sorriso e me despedi deles, Megan fez o mesmo. 
– Srta. Chlöe. O carro e os seguranças já estão esperando pela senhorita. – Disse Jack.
– Tudo bem, já estamos indo! – Sorri. 
– Tchau. – Acenei com a mão.
– Mamãe, 'espela'! 
– O que foi? – Perguntei assustada. Ela olhou para a foto e eu entendi o que ela quis dizer, sorri e ela saiu correndo em direção a Justin, que estava sentado nas escadas, nos olhando abismado. Megan se aproximou dele e deixou a foto sobre o sua perna e sorriu. Me olhou e olhou para Justin novamente e correu para os meus braços. Mas uma vez todos pareciam encantados. Dei mais um aceno e caminhei até o carro. Precisava imediatamente digerir o que havia acontecido ali e dormir. Dormir, porque logo as consequências viriam. 
...


Ei chuchus, amanha irei atualizar esse capítulo betado, me desculpem pelos erros! Amo vocês!
Continua com 60 comentários.
Fale comigo (Aqui).
Entre no grupo da Fanfic (Aqui).
Comentários
25 Comentários

25 comentários:

  1. Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa pelo amor do Justin
    #ansiosa #demais
    kkkk

    ResponderExcluir
  2. Hahaha, amei (:: Estou muito ansiosa. Mas menina que triller é aquele? Zezus! Estou apaixonada pelo vídeo. Beijão, e continua!

    ResponderExcluir
  3. Porra o justin ta sendoum filho da puta mano (sem ofenças sogrinha linda :p)

    continua ta perfeitooooo

    ResponderExcluir
  4. Meu deus vc se superou eu nunca vi vc escrever adsim esta sensacional vontinua por favor!parabenss esta demaiss!!continua ligoo por favor

    ResponderExcluir
  5. wooow,to amando essa nova fic Thaiiis,parabéns!!!
    Ansiosa para o próximo capítulo *---*

    ResponderExcluir
  6. ahhhhhhhhhhhhhhhhhh ameiiii d+ continua amore

    xoxo jubss

    ResponderExcluir
  7. ameiiiiiiiiiiiiii, continua logo

    ResponderExcluir
  8. continuaaaaaaaaaa cara to amandooooooooooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  9. Aiii continuaa, está demaais!!
    #Mannu..

    ResponderExcluir
  10. oieeee kkk meu adoro suas ibs SERIO, são as melhores q eu ja li nao pare de escreve em kkkkkkkk continuaaaaaaaaaaa =D

    ResponderExcluir
  11. bem q vc podia dar um desconto e colocar menos comentarios né thais? mas ta tudo otimo, merci people

    ResponderExcluir
  12. Caralhooooooooo (desculpa) Thais, tá muito perfeitoo! Continua logoo! ^^

    ResponderExcluir